sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Quando o virtual se torna real

Há poucos dias atrás uma amiga de Orkut me escreveu, pedindo minha opinião sobre uma situação pela qual está passando no momento. Me contou que há dois anos se comunica virtualmente com um homem, que chegou a encontrar pessoalmente por duas vezes. Segundo ela, trata-se de um homem maduro, livre, bem posicionado social, profissional e intelectualmente, enfim, um parceiro interessante. Diz que entre eles há uma grande afinidade e que o entusiasmo por um encontro real era imenso de ambas as partes, especialmente alimentado pelo fato de viverem distantes geograficamente um do outro. Ao saber que ela estaria participando de um curso na sua região, ele tomou a iniciativa de marcar o tão esperado encontro, segundo ela muito bem sucedido, com direito a bis antes que ela fosse embora. "Depois que nos encontramos ele ficou mais discreto, mas todos os dias fala comigo... Você acha que o fato de não ter ido pra cama com ele e deixado claro que o que quero é um relacionamento mais sério, pode afastá-lo ou aproximá-lo?", me pergunta ela. Com autorização da própria, achei legal comentar sobre isso aqui no blog, já que essa é uma situação comum para muitas mulheres. Bem, primeiro acho que a resposta que ela procura já está na própria pergunta que me fez. Se o sujeito ficou "mais discreto" depois dos encontros reais, embora continue mantendo contato diário, significa que algo mudou. É difícil saber o que se passa na cabeça de outra pessoa, mas não acredito que essa mudança de comportamento da parte dele possa ser atribuída ao fato de não terem ido pra cama, simplesmente. Até porque, quando considera uma mulher interessante de fato, o homem aposta nela e sabe esperar, ainda que sua intenção seja apenas sexual. Justamente por isso, creio que o entusiasmo não diminui, muito pelo contrário. Ele se coloca inteiramente disponível, investe na relação e faz o possível (se bobear, até o impossível!) para atingir seu objetivo. Então isso significa que ela não seja mesmo uma mulher interessante? Evidentemente que não. Até onde eu sei, trata-se de uma mulher bonita, inteligente e independente. Opa! Independente? Aí é que mora o problema. Independência financeira é uma coisa e independência emocional é outra bem diferente. Uma pessoa pode se desenvolver bem e com relativa segurança em vários setores da vida, mas nem sempre sua maturidade emocional evolui no mesmo caminho. O fato desta amiga em particular me relatar que, embora houvesse desejo e oportunidade, evitou avançar sexualmente, acreditando ser uma maneira de se preservar, já que "homem não leva a sério uma mulher fácil", me leva a acreditar que ela não seja totalmente bem resolvida, como grande parte das mulheres também não são. Posso compreender que uma mulher não viva um determinado momento em toda sua plenitude porque não quer (não houve química com o parceiro, prefere conhecê-lo melhor, sei lá mais o quê...), mas nunca porque está preocupada com o que o outro vai pensar depois. Oras, já falei sobre isso aqui no blog. Um homem que age diferente com a mulher só porque ela foi verdadeira e cedeu aos seus desejos não merece nem a mais remota lembrança, quanto menos preocupação, porque não passa de um lixo (que não serve nem pra ser reciclado). O grande problema, na realidade, é que geralmente as mulheres alimentam grandes expectativas em torno de um relacionamento e nem sempre há bases concretas para tanto. Por mais que seja uma mulher admirável e atraente, isso está longe de significar que vá agradar 100%. O outro tem todo o direito de perder o interesse, de não gostar de alguma coisa nela. Essa sim é uma possibilidade concreta quando nos lançamos numa experiência diferente, as chances de dar tudo certo são exatamente as mesmas de terminarem mal. Outra coisa que as pessoas insistem em não levar em conta, mas que na minha opinião já é meio caminho andado para se lançar numa nova relação sem neuras, é onde encontrou a pessoa pela primeira vez. Viu o homem na balada? Já sabe que não pode esperar que ele seja caseiro demais. Encontrou praticando algum esporte? Obviamente isso é importante para ele e não abrirá mão dessa prática depois. Conheceu pela Internet? Xiiiiiiiiiiiiiii!... Aí a atenção precisa ser redobrada para não haver cobranças no futuro. Relações virtuais exigem cuidado extremo, porque podem interferir drasticamente na vida real das pessoas. Nesse universo camuflado todos podem ser o que quiserem e como bem entenderem, e nem sempre o objetivo é outro, senão apenas passar o tempo mesmo. Não há interesse em se levar nada adiante, de se construir coisa alguma de fato, o que não significa falta de caráter. Só que, por vezes, esse "passatempo" é a maneira perigosa que algumas pessoas encontram para melhorar a auto-estima. Assim, para satisfação do próprio ego e a partir de um contato frequente, é muito fácil se criar uma situação de dependência, onde o abuso emocional surge sem ser percebido pela "vítima". Tudo pode ser levado a extremos, de forma a criar dúvidas e insegurança, confundindo a pessoa que se torna refém na relação. Aos poucos os recursos internos vão sendo minados a tal ponto, que a pessoa envolvida se vê dentro de um relacionamento truculento e desajustado, mas não tem forças para qualquer questionamento, perdendo totalmente o controle da situação. E acredita sinceramente estar apaixonada, sem perceber que, na verdade, foi enredada por uma manipulação cruel, da qual só se livrará quando tiver plena consciência dos fatos. Isso exige um esforço imenso, mas com persistência é uma situação perfeitamente possível de ser revertida, para a infelicidade do chupim (que certamente irá cantar noutra freguesia). Bem, o que gostaria de dizer a essa amiga que me escreveu é apenas o seguinte: desencana, minha filha! Se suas expectativas estão realmente afinadas com as dele, então vá em frente, aproveite o momento. Agora, se há alguma dúvida, por menor que seja, então pense bem e analise se valerá a pena, se poderá suportar as consequências de uma possível frustração. Olhe os sinais de que algo pode não ser legal, eles sempre estão presentes (aliás, você mesma já percebeu alguns). Afinal, o que interessa é o que VOCÊ pensa e quer, e não o que supostamente ele esteja imaginando a seu respeito. Esse é um problema dele e não seu. A você cabe apenas batalhar pra ser feliz e pronto.

21 comentários:

  1. Tania, vc tocou num grande problema das mulheres. Pra o relacionamento dar certo NUNCA se pode proibir alguém de fazer algo, ainda mais se a pessoa gosta de fazê-lo... Atormentar o cara sabendo o que ele gosta desde o começo e achando que isso vai mudar depois é que não dá... Eu sempre digo que a base de qualquer relacionamento é CONFIANÇA, e qualquer relacionamento MESMO:homem e mulher, pai e filho, empregado e patrão...quando se perde essa confiança, se perde tudo........RECIPROCIDADE é a outra coisa:trate a outra pessoa como vc gostaria de ser tratado...Isso COM CERTEZA já é um ótimo começo....

    ResponderExcluir
  2. Acho que quando a mulher sente pelo menos um pingo de insegurança, é melhor não arriscar. Durante todo o encontro (jantar, cinema, teatro), é possível sentir o interesse do parceiro, se é puramente sexual ou se a relação pode caminhar para além disso. É claro que não tem nenhum problema partir para os finalmente logo de cara, mas tem que acontecer porque ambos querem; o ruim é se só ele quiser isso. Aí eu acho que ceder só para agradar, nem pensar!

    ResponderExcluir
  3. Oi Ronaldo, seja bem-vindo por aqui. Então, digamos que essa mania de querer mudar o outro não é uma exclusividade das mulheres, né? Há muitos homens que no princípio aceitam e até se encantam com tudo na parceira, mas logo passam a exigir outro comportamento. Quer um bom exemplo? Roupas. Na fase da conquista, um belo decote é desejável e apreciadíssimo. Passado um tempinho e já com o relacionamento mais sólido, o mesmo decote se torna motivo pra discussões. Dá pra entender a mente humana? Mas tem toda razão, confiança e reciprocidade são fundamentais, não há como levar nada adiante sem isso.

    Laila, que bom rever sua passagem por aqui! É verdade, a insegurança é o principal fator pra se evitar atitudes precipitadas. Sem convicção absoluta do que se pretende, melhor não arriscar e dar tempo ao tempo, né?

    Valeu!

    Beijocas!

    ResponderExcluir
  4. Através da comunicação virtual é muito mais fácil preservar o ego, mostrar apenas o que se decide mostrar. Apenas o convívio desmascara. E aí, quando as máscaras caem, é que se conhece a verdadeira pessoa e podem acontecer as desilusões. Relações virtuais exigem muita cautela.

    ResponderExcluir
  5. Olá Tânia, concordo com vc em muitas coisas, mas não acredito que um homem que não tenha gostado de uma mulher queira encontrá-la uma segunda vez o que poderia descartado a principio, logo no primeiro encontro concordas? acredito realmente que o comportamento dele tem muito haver com outras coisas que também estão no alvo, tipo, vou ver primeiro com fulana o que vai da certo, e seu eu soubesse de fato que existia um interesse por outra pessoa nem teria perdido tempo em conhecê-lo, mas passado alguns meses como te falei, acho que este tempo foi bom para que cada enxergasse mais os valores de cada um....beijos.

    ResponderExcluir
  6. Helena, tem razão, relações virtuais exigem ainda mais cautela do que situações reais, na minha opinião. Porque embora estejamos "protegidos" pela ausência de materialidade, portanto aparentemente distantes de perigos reais, a virtualidade tem o poder imensurável de transformar estados psicológicos, evidentemente quando permitimos que isso aconteça. Nossa vida real pode ser imensamente afetada e, portanto, modificada a partir de situações abstratas. Não são raros os casos de pessoas que viciam na virtualidade e deixam de lado coisas importantes, como família, trabalho e até a si mesmas. Com isso o tempo vai passando e determinadas oportunidades acabam se perdendo, porque o contato com a ilusão se tornou muito mais atraente do que a realidade. Enfim, esse é um assunto tão interessante e extenso, que merece uma abordagem exclusiva. Muito oportuno o seu comentário.

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  7. Cristina, você também está certíssima. É verdade, também acho improvável uma pessoa querer encontrar outra pela segunda vez, caso não tenha gostado dela por qualquer razão que seja. Aliás, vou além, dizendo que contrariado esse mesmo homem nem faria mais contato algum com ela, simplesmente sumiria e se tornaria inacessível, como tantos e tantos fazem por aí. Ele continuar se comunicando com ela, sem dúvida já demonstra senão o interesse por viver um romance, pelo menos o respeito que se espera de um homem de verdade.

    Ao mesmo tempo, também acho que depois de um encontro tão aguardado e bem sucedido, a empolgação não diminuiria, muito pelo contrário. Não tenho nenhuma base profissional pra estar aqui analisando aspectos psicológicos de coisa alguma e falo apenas por mim mesma. Quando quero saber se determinada atitude vinda de outra pessoa é positiva ou negativa pra mim, simplesmente mentalizo a seguinte pergunta: "no lugar dela eu faria a mesma coisa?". Então, se o encontro tivesse sido super agradável, certamente depois eu ficaria ainda mais empolgada com a outra pessoa, porque a novidade cedeu lugar à saudade e ao desejo de estar junto novamente. Mas é claro que nem todo mundo tem a mesma reação diante de cirscunstâncias parecidas, especialmente no caso dos homens, que em geral se manifestam de maneiras bem diferentes das mulheres.

    Obviamente dois encontros não significam quase nada pra se estabelecer o futuro de uma relação. Podemos passar uma vida inteira junto de alguém e, ainda assim, comportamentos imprevisíveis causam surpresas. Então, diante das dúvidas que sempre existirão, afinal não dá pra garantir nem mesmo o que a gente sente, penso que deve haver uma única certeza, independentemente do que o outro queira ou pense: "sei o que EU quero, então viverei isso de qualquer maneira". Sem encanação, sem medo e com maturidade emocional suficiente pra suportar o que vier depois, seja bom ou ruim. Basicamente a questão aqui não é se ele está ou não interessado nela (como julgar isso de fato?), mas a maneira como ela está conduzindo a situação. Já falei sobre isso aqui no blog e, loucamente, adotei como lema para minha vida: ENTRE A DOR E O NADA, SEMPRE VOU PREFERIR A DOR.

    Fiquei muito feliz com seu comentário, espero continuar contando com sua participação e peço que esteja sempre à vontade pra concordar ou discordar de qualquer coisa. Essa é a minha proposta, debater sobre assuntos do dia a dia e tentar sempre aprender um pouco mais com tudo isso.

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  8. MInha querida amiga, adorei a resposta diante o meu comentário. Concordo plenamente que se o mesmo não tivesse qualquer interesse, mesmo não deixando transparecer, mas até vejo isso como maturidade da parte dele, afinal estão apenas se conhecendo, derrepente poderia até ser imaturo da parte dele falar que poderiam da certo. Mas acho que ele reflete bem referente as coisas do coração, o que adiantaria ele selar um compromisso, se nem ao menos sabem dos seus verdadeios sentimentos um pelo o outro? acho até que muitos homens no lugar dele poderiam ter tido atitudes de cafajestes apenas para selar uma paquera que vinha sendo conduzida virtualmente, e fazer daqueles dois encontros promessas que mais tarde não poderia vir a cumprir. Portanto, se olhar-mos por este angulo, existiu sim a maturidade por parte deste homem, mesmo que cante em outras freguesias, pelo menos não prometeu, mas se mostrou honesto e com principios em continuar falando com esta pessoa, mesmo porque nunca prometeu nada a ela enquanto mantiam estas conversas virtuais e sim um interesse por saberem que entre os dois existe uma afinidade e uma sintonia...e o fato de ter continuado a conversar com a mesma, significa que ela de certa forma marcou presença. beijos.

    ResponderExcluir
  9. Covardia: ..." porque o contato com a ilusão se tornou muito mais atraente do que a realidade"...
    Coragem: "ENTRE A DOR E O NADA, SEMPRE VOU PREFERIR A DOR."
    Que ninguém se iluda: todas nós passamos e/ou passaremos pelos dois casos. Benvindo ao mundo dos humanos! A pergunta que você sugere é perfeita: "o que eu faria no lugar dele?". Nesses casos a nossa única bússola é o que nós sentimos. Cabeção de ser humano e fralda de nenê...sempre imprevisíveis...

    ResponderExcluir
  10. O grande problema em qualquer relacionamento é o fato de alimentarmos expectativas. Lí em algum lugar algo que cabe justinho nesse assunto.Diz o seguinte: " Se você entra numa relação sem usar seus instrumentos mais refinados: sensibilidade, autopreservação, auto-estima etc. não deve se queixar que a culpa é do outro.O outro nem sempre consegue se cuidar bem, quanto mais cuidar de você!" Então, o que eu acho, com conhecimento de causa, porque já embarquei em algumas "furadas" é que se a mulher entra nessa de tentar adivinhar o que o outro está pensando por agir assim ou assado..xiiii!!!É porque o fulano realmente não é, nunca foi e nem tem nenhuma vontade de ser o seu príncipe encantado.

    ResponderExcluir
  11. Estela Bonfigliolli12 de setembro de 2009 23:29

    Também vou usar um velho ditado: o pior cego é aquele que não quer ver. Conheci uma moça que se tornou amante de um rapaz bem no começo do namoro dele com outra garota. Os anos se passaram, ele se casou com a namorada e ela continuou sendo amante. Mesmo assim ela se iludia, acreditava que um dia ele deixaria a esposa (que ela odiava) e viveriam um lindo conto de fadas. A esposa engravidou, ela entrou em uma depressão brava, mas não largou do pé. Um dia ele se cansou dela, continuou casado, teve mais um filho, arrumou outra amante mais nova e a mandou passear. E sabe o que aconteceu? Ela entrou em uma nova depressão...E parece que vai levar um bom tempo até tirar o pé da lama. É por isso que acho muito triste quando uma mulher, mesmo vendo que não vai dar certo, insiste em acreditar numa ilusão.

    ResponderExcluir
  12. Pensei alguns dias antes de psotar minha opnião.
    No primeiro encontro se não rolou "cama" podemos até dizer que seja normal, não muito, mas cada um tem uma forma de pensar e agir.
    Na segunda tbm não rolou e o cara mudou de atitude então, como disse a Tania, os sinais estão à tua vista e só não enxerga pq não quer.
    Serei mais explícito.
    É comum ao homem, com raras excessões, querer sexo logo no primeiro encontro e tbm não valorizar a mulher que o faça, porém se le realmente deseja isso até pode esperar uma segunda oportunidade e caso não aconteça ele tira o time de campo e parte para outra. Isso não significa que pelo fato de ter desistido não queira preservar pelo menos a amizade virtual pois a real nunca mais será a mesma, ou seja, sai fora que o interesse é somente sexo mesmo, então só restam duas opções a ela, vai fundo nessa ou então desencana de vez.
    Os relacionamentos virtuais realmente são complicados e merecem atenção redobrada antes que passem para o real, mas cada um de nós temos intuição suficiente para saber o qual é verdadeiro (em termos de virtual) e qual é fria, basta prestar atenção nos sinais, palavras, presença virtual etc...
    A respeito das relações virtuais concordo em partes com a opnião da Tania, mas isso é assunto para outra hora.....hehehehehe.
    Não devia dizer isso, mas, minha filha, se vc procura um relacionamento sério caia fora deste pq pode ser tudo menos sério.
    Tania parabéns por mais essa postagem.

    ResponderExcluir
  13. Olá Tânia, achei fantástica a opiniao do M@R†NHE¿R®, como homem ele abrodou um lado que nós mulheres nunca percebemos. Quando ele fala que se o cara queria sexo no primeiro encontro e não conseguiu, e no segundo encontro se mostrou frio, é porque na verdade antes mesmo de se encontrarem ele já pensava na possibilidade do sexo entre os dois, derrepente se viu longe do que imaginou, sendo assim foi ao segundo encontro até mesmo para não deixar uma mal imagem perante ela, mas deixando claro, mesmo sem ter mencionado que compromisso esta longe do que ele quer na verdade, muito embora dois encontros mesmo que frustados no aspecto que ele esperava, não significa tambem que não venha vir a ter um interesse maior pela pessoa, ,logo porque se eles preservam esta amizade virtual e a reciprocidade exite, assim como a sintonia, nada é improvável, o que também pode mostrar para ele que nem tudo é igual...entção se por ventura vierem a se encontrarem novamente, tudo é provavel, mas acredito que a mulher envolvida neste artigo, não mude os seus valores e a sua essência apenas por momentos e simplesmente para satisfazê-lo. beijos.

    ResponderExcluir
  14. Olá pessoal! Considerando que minha entrada no blog neste momento indicou a 7.777ª visita, acho que precisarei ser um tantinho cabalística nos meus comentários... Então, vamos lá:

    CRISTINA: Os astros indicam que você não compreendeu perfeitamente algumas colocações que surgiram através dessa postagem. Em nenhum momento achei que o homem em questão seja imaturo, muito pelo contrário. Acho que ele se comportou dentro do esperado. Foi aos dois encontros e continuou se comunicando com a minha (nossa?) amiga... Quem ficou encanada e criou expectativas foi ela, não ele, né? Já em relação ao que o Marinheiro postou, achei engraçada sua colocação "...na verdade antes mesmo de se encontrarem ele já pensava na possibilidade do sexo entre os dois". Ué, se ele pensou isso, ótimo, né? Sinal de que é normalzinho da silva! Me aponte um único homem que não pense em sexo e lhe dou um picolé de limão no ato! E, pra ele, dou um harém das arábias pra tomar conta, já que se não pensa em sexo é porque o coitado é um eunuco. kkkkkkkkk!!!! Olha, brincadeiras à parte, muito legal sua participação ativa por aqui, viu?

    ROSE: É verdade, covardia e coragem andam lado a lado, temperando nossa vida o tempo todo. Ainda bem, senão, que graça teria viver? Olha, bem se vê que você nunca tomou conta de um bebezinho... Fralda jamais é imprevisível, infelizmente. Você SEMPRE sabe o que tem ali e, lhe garanto, a coisa é brava! kkkkkkk!!!

    ELAINE: Perfeita a sua colocação. É isso aí, se nem a gente dá conta de cuidar de si mesmo, como esperar que o outro faça isso por nós? E tentar adivinhar pensamentos alheios é, sem dúvida, uma enorme perda de tempo. É como citei aqui insistentemente: o importante é saber o que a gente quer, não o que o outro pretende.

    ESTELA: Que bom te ver por aqui novamente. Pois é, há mulheres que insistem em viver relacionamentos que nunca levarão a nada e acabam se prejudicando imensamente depois. Acho que se a pessoa tem consciência de que quer apenas viver um momento, sem esperar nenhum desdobramento, tudo bem, deve relaxar e curtir (desde que não esteja prejudicando ninguém, é óbvio). Mas se tem algum objetivo que não corresponde ao desejo do outro, então o melhor é parar pra não se ferir depois, o que fatalmente acontece.

    MARINHEIRO: Excelente comentário também. Mas vou discordar só um bocadinho: também acho que em geral os homens pensam em sexo e, caso não tenham êxito num encontro, podem se desinteressar e partir pra outra. Mas insisto que não é bem assim que vejo o caso da nossa amiga em questão. Ainda acho que o bicho pegou muito mais pela insegurança que ela demonstrou do que pelo fato de não ter ido pra cama com ele. Você concorda que se ela demonstrasse claramente que tudo seria possível, desde que fosse respeitado o desejo dela, ele não se desinteressaria simplesmente? Afinal, isso é o que o homem espera de uma mulher madura. Assim como saber conquistar e criar um momento legal pra ambos também é o que a mulher espera de um homem igualmente experiente. Jogos de sedução, meu caro! E isso depende de ambas as partes, né? Ah, concorda em partes com minha opinião sobre relações virtuais, é? Como boa paulista, só posso dizer: NÃOTOENTENDENDO... kkkkkkkk!!!!

    Beijocas pra todos!

    ResponderExcluir
  15. Olá Tânia, discordo quando falas que a tua amiga não entendeu o recado. Quando falei da maturidade, falei no sentido de que ele havia comparecido ao segundo encontro, simplesmente para mostrar que o seu real interesse não seria apenas aquele momento, e isto de certa forma foi maduro da parte dele, mesmo que para deixar boa impressão....quanto ao comentário de que houve insegurança por parte da mesma, discordo, a segurança que ela teve em relação ao que quer e sente, mostrou claramente que não seria o sexo que os levaria a um depois...e isto não significa que não tenha havido um clima de sedução, derrepente entre beijos e abraços que tenho certeza que rolou, deixar a vontade no outro é um jogo, cabe a ele sentir que a vontade de tê-la permnaneceu ou não. Portanto, acho que cada um é cada um, com desejos, vontades e expectativas....tratando-se de uma mulher inteligente, com certeza ela terá percepção suficiente para sentir se vale à pena ou não....beijos.

    ResponderExcluir
  16. Olá Cristina!

    Sabe, eu já estava decidida a não comentar mais essa postagem, já que fiz todas as colocações que considerei importantes. Mas acho legal esclarecer definitivamente alguns pontos.

    Se você prestar atenção na postagem e também nos comentários que aqui estão, verá que EM NENHUM MOMENTO alguém (muito menos eu) disse que o homem foi imaturo, muito pelo contrário. Não sei porque você insiste em afirmar que isso aconteceu.

    Você também insiste em não entender que a questão nada tem a ver com o homem, se ele queria sexo no primeiro encontro ou não, porque, inclusive, essa seria uma discussão inútil, pra não dizer extremamente infantil. Se uma mulher adulta se choca com um desejo tão natural como esse, é porque não está preparada pra se relacionar com absolutamente ninguém. Melhor rever os próprios conceitos e amadurecer mais como pessoa, senão obviamente vai amargar muitas decepções pela frente.

    Finalmente, acredito que se a minha (nossa? você mesma?) amiga for uma mulher observadora de fato, vai interpretar com perspicácia todos os sinais que já lhe foram enviados a fim de concluir se é interessante ou não pra ela continuar investindo nessa relação. Afinal, esse é um problema que cabe só a ela resolver. Nós aqui, humildes mortais, democraticamente apenas opinamos a respeito da situação. E com os elementos que foram expostos, infelizmente, ninguém conseguiu ver o final feliz que você espera.

    Mas, como eu mesma já disse antes e volto a repetir, entre o nada e a dor, sempre vou preferir a dor. Não condeno nada e nem ninguém. Muitas vezes insisti em erros também e não me arrependo nem um pouco por isso. E outras vezes, achando que errava, acabei acertando. Tudo é aprendizado, desde que a gente esteja disposto a aprender, né?

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  17. Atenção! Atenção! Tenho uma ótima receita, não infalível, mas ótima!Anotem: 1) Assuma o que VOCÊ quer. Vc quer ficar com o cara mesmo ou só preencher com qualquer coisa a lacuna de um domingão cheio de pipoca, DVDs e internet(oopps!)?
    2) Se vc decidiu que quer sim, olhe nos olhos dele e diga isso ou pergunte o que ele quer. Dá pra fazer isso com leveza, carinho, graça, humor e se-du-ção...(Atenção, não insinue, seja clara!). Nessa hora ou ele te agarra e beija ou deixa claro que não te quer.
    Para a receitar funcionar da melhor maneira possível tem um ingrediente indispensável: auto-estima. Se não tiver, esqueça! Vá ao mercado compre 300 g de auto-estima DA BOA e volte à receita. Outra coisa essencial: ausência de ego/fantasia. Se vc estiver nessa de 'o que ele vai pensar?','e se eu levar um fora?' também esqueça que a receita vai desandar. Não sei se é porque nos contaram muitas estórias de príncipes, viver feliz prá sempre,blábláblá, nós temos uma capacidade de viajar na maionese que Deus me livre!Adivinhar o que o outro tá pensando??? E, pior de tudo, não viver a vida REAL, cheiiiiinha de beijo na boca! Cansei! Realidade já, doa a quem "doe-la". Adorei o que a Elaine escreveu e também o Marinheiro! Agora dá licença que hoje é domingo e tem pipoca e dvd me esperando. Beijos

    ResponderExcluir
  18. Olha aqui, como o marinheiro eu tava quieto, no meu canto, só de butuca, pensando "falo ou não falo"? Decidi: falo! Me mata de raiva essa mania que algumas mulheres têm de sempre arrumar justificativas para as sacanagens das quais são vítimas só porque querem. Fala sério, ilusão tem limite! Como saber se um rolo vai pra frente é muito simples, responda a seguinte pergunta: por acaso você se sente em paz com esse relacionamento? Se acha que está rodando e rodando sem sair do lugar, se a coisa não ata nem desata, se não te deixa com aquela sensação de tudo está no devido lugar, então é porque essa porcaria não tem futuro! Doeu? Sinto informar, mas vai doer muito mais quando a iludida olhar para trás e ver o tempão que perdeu com um sentimento inútil. Pronto, falei!

    ResponderExcluir
  19. Jack:"clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap, clap"!!!! (aplausos)

    ResponderExcluir
  20. Ebaaaaaaaaaaaaaaaaa finalmente alguem com a mesma opnião que a minha, é isso aí Jack jamais conheci alguem da e na net que fosse santinho (a), ninguem deve ser tão infantil a ponto de achar que a maioria dos relacionamentos da net podem ser reais (em termos de sentimento), ocorrem sim mas a porcentagem é muito pequena, porém se compararmos com a porcentagem de envolvimentos sexual (é isso mesmo eu disse transa) é muito maior.
    Então só para encerrar minha participação nessa postagem o cara só queria uma transa e como não conseguiu ele nem esquentou e a está descartando pq existem centanas e centenas de mulheres por aí que querem a mesma coisa que ele e pouquissímas que querem a mesma coisa que ela.
    Cada um tem o direito de escolher oq quer na net e se o objetivos de ambos se contradizem que fique pelo menos a amizade virtual, isso acontece muito.
    Tania esse assunto foi muito polêmico, gostei muito.....hehehehe
    Então deixemos de ser

    ResponderExcluir
  21. Ufa!

    Será que todo mundo se entendeu por aqui? Bem, espero que sim. Mas as divergências também são bem legais, porque nos dão a oportunidade de discutir vários pontos de vista. Ninguém é dono da verdade, né?

    Agradeço demais pela participação de todos nessa postagem, que foi a mais acessada desde a criação do blog. Foram mais de 600 visitas!

    Valeu mesmo!

    Beijocas pra todo mundo!

    ResponderExcluir