terça-feira, 9 de março de 2010

Dia internacional da hipocrisia

"99% da beleza feminina sai com água e sabão."

"Todo feminismo acaba com o primeiro pneu furado."

"Mulher é que nem pênalti mal batido: um chuta e o outro cata."

Então, né?!... Tem uma porção de manés que se diverte o ano todinho com pérolas como essas. Aí, num dia como o de ontem, hipocritamente, surgem com palavras ensaiadas pra enaltecer as qualidades femininas. Tá legal, é ótimo receber flores e belas mensagens, duvido que alguma mulher dirá o contrário.

Só que, sério mesmo, não preciso de alguém que me diga o valor que uma mulher tem, sou capaz de reconhecer isso sozinha. Anos a fio de cólicas menstruais insistem em me lembrar disso. Dor de parto, dupla jornada de trabalho, habilidade pra fazer mil coisas ao mesmo tempo, enfim, o dia-a-dia traz diversas oportunidades pra qualquer mulher dimensionar com clareza a força que tem.

Uma mulher não precisa de homem pra abrir porta de carro e puxar cadeira em restaurante, por exemplo, porque ela dá conta dessas coisas sozinha... Precisa é de alguém que preste atenção nela DE VERDADE. Que esteja mais preocupado com o bem-estar dela do que com meras formalidades. Porque um homem decente sabe reconhecer que em pleno século XXI a mulher não é  - nem nunca foi -  incapaz de fazer coisa alguma e que consegue andar com as próprias pernas. Acima de tudo sabe que o pior atentado que pode cometer contra uma mulher é subestimar sua inteligência com elogios de ocasião.

Troco tranquilamente o cavalheirismo barato por interesse sincero, sabe? Por atitudes práticas e positivas, de alguém que saiba reparar em mim, que me admire e até me critique quando for o caso, que me incentive, me apóie, enfim, que esteja SEMPRE presente. Que contribua pra que eu cresça.

Aliás, por falar nisso, também é bem legal destacar que a recíproca precisa ser verdadeira. Porque nem sempre por trás de um grande homem existe uma grande mulher. Vamos combinar que tem mulherzinha por aí que é chave de cadeia, né? Concordo plenamente com a escritora Martha Medeiros quando ela diz:

"Se eu fosse homem prestaria atenção apenas num quesito: se a mulher é do tipo que o puxa pra cima ou se é do tipo que o empurra pra baixo. Se por trás de um grande homem existe uma grande mulher, então vale o inverso também. Por trás de um pequeno homem, TALVEZ exista uma mulherzinha de nada".

Note que enfatizei o "talvez" acima. É porque há casos de homens que são inúteis porque querem e, não satisfeitos com o próprio fracasso, utilizam-se de manipulações lamentáveis para transformar mulheres interessantes em verdadeiras nulidades.


Por isso, médias à parte, bem além dos elogios e comemorações, acho que o Dia Internacional da Mulher merece reflexão, isso sim. Que as mulheres não se impressionem com a demagogia dos "cavalheiros de 8 de março", muito menos se ofendam com o desdém rotineiro. E, fundamentalmente, que elas se apropriem do poder imensurável que têm de transformar, evoluir e construir coisas bacanas por si mesmas. 

23 comentários:

  1. me desculpe por ter lhe trazido tanto sofrimento em meu nascimento!!!

    (rimou!)

    ResponderExcluir
  2. Pois é, André(ih, também rimou! kkkkkkkkkkk!!!)...

    Tá perdoado, poetinha descarado.

    Caraca, rimou de novo! A poesia tá no sangue... kkkkkkkkkkkk!!!

    ResponderExcluir
  3. Olha, eu gosto de brincar com piadas machistas e femininas, exatamente por concordar com você em GÊNERO número e grau.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto. Como escrevi no meu post de 'dia da mulher':
    "não queremos regalias por sermos mulheres, queremos RESPEITO!"
    Simplesmente!
    Bj, querida!

    ResponderExcluir
  5. Fico impressionada é com essa sua capacidade de dizer tudo o que eu gostaria nos seus textos. Não sobrou mais nada para dizer, arrasou! Bj!

    ResponderExcluir
  6. Palmas!!!Patreces até Capricorniana!!! Sabes que eu não preciso nada que me dêm flores, nem que me abram as portas para saber reconhecer o valor que tenho como mulher? Por acaso acho até que o meu marido reconhece e olha que não me deu flores no dia da mulher, aliás não deu nada, porque ele sabe que o que me interessa é o dia a dia e não só neste; o respeito e saber que eu e ele temos os mesmos direitos e obrigações como casal é o que me interessa. Quanto a ter de arranjar outro motivo para o tal miminho extra, não te esqueças que se foi o TPM ,mas veio a menopausa; espera para ver...não é nada fácil e, quando é preciso, lá está ela como desculpa. Um beijinho, amiga e até breve
    Emília

    ResponderExcluir
  7. Acho que a mulher ainda sofre muito preconceito. Se ela é tradicional e dona de casa, é rejeitada porque deveria ser independente. Se ela trabalhar, é criticada porque deveria ter tempo para os filhos. Na sociedade atual não basta ser mulher, é preciso ser supermulher!

    ResponderExcluir
  8. Excelente e inteligente texto. Não apenas pelo fato de ser mulher e ter gostado da leitura, mas também porque encontrei um conteúdo atual e muito intuitivo. Tânia, parabéns!

    ResponderExcluir
  9. "Na falta de saco, ai minhas trompas de falópio, viu." (@AlineValek). Hipócritas Cavalheiros de 8 de março!!! O próximo que me desejar feliz dia da mulher mando logo tomar no c. que é prá fazer prevalecer a testosterona desenvolvida a custa de muito sangue ...não menstrual...Quero parabéns sem ser data especial, tá entendido???

    ResponderExcluir
  10. 99% ? Você por acaso frequenta baile funk?
    Caso os 99% sejam verídicos, são vocês mesmos, mulheres, que se limitam a isso... água e sabão para dar fim a sua beleza... [Seu caso então, 98% sái com água e sabão, 1% por ser mulher 1% por ter o blog...] xD

    Pneu furado, acomodadas...
    Existe por 75 reais um "jacaré" capaz de levantar um carro sem esforço, e uma pequena pistola que fará o serviço dos parafusos, ligado ao esqueiro do carro... pronto, volte a ser feminista e menos limitada...

    Sempre haverá um para catar... mas nem sempre é uma boa opção ser catada...

    Mocinha, existe uma séria diferença em saber o valor que se tem e ser reconhecido... talvez alguns idiotas [ex.: EU] só saibamos identificar essas características por 1 ou 2 dias no ano: [Internacional da Mulher, Dia das Mães]... para ver como é, nem recordo de algum outro...

    Coisas pequenas também fazem parte do cuidar, faz parte do prestar atenção... isso não faz uma sequência para o bem estar? E DE VERDADE, eu gostaria de entender mais as mulheres... rs...
    Faz-se confuso para os homens essa mudança drástica de comportamento, ou pela idade, ou por ciclo normal feminino!

    Mas concordo que devemos estar PRESENTE, mas não sempre...
    Afinal não acabou de dizer que são independentes?
    Afinal, quer mesmo trocar os carinhos por interesse sincero?

    Isso certamente é obtido em um relacionamento simples, praticidade, observância, opinião, incentivo e apoio para crescer deve ser mútuo, talvez você até receba mas nunca será o suficiente, não é mesmo? Veja o caso, ainda estou solteiro...

    E .. "Ualw" ... só observo que em casos de nulidades o comportamento de ambos os sexos é apto a fazer sozinho... lógico que se houver ajuda, afunda-se mais rápido.

    Não fui ofensivo, mas dessa vez, abraço no pé.

    ResponderExcluir
  11. Oi povo!

    ERALDO: Oras, não há o menor problema em brincar, seja com machismo, feminismo ou qualquer coisa. De complicada já basta a vida, né? O jeito é se divertir1 Fico feliz que você tenha entendido meu ponto de vista. Valeu!

    NALVA: Li seu texto e achei exemplar. Ainda não tive tempo pra ir comentar, mas certamente farei isso. Com palavras diferentes, dissemos exatamente a mesma coisa. Que beleza de sintonia!

    HELENA: Como leitora super fiel você já está ficando suspeita pra me elogiar! kkkkkk!!! É muito bom poder contar sempre com seu incentivo, viu?

    EMÍLIA: Ah, mais essa agora!... SOU CAPRICORNIANA!!! Pois é, você captou perfeitamente minha intenção ao escrever esse texto. Como você, também tenho a felicidade de contar com um companheiro de verdade, que não me deu flores no dia 8, mas está comigo pro que der e vier nos 365 dias do ano. É isso.

    MÁRCIA: Tem toda razão, a cobrança atualmente é alta. Mas, ao mesmo tempo, também é legal reconhecer que a vida da mulher conta com facilidades que outras gerações não tinha, né? Minha mãe custou até ter uma simples máquina de lavar! Acho que depende muito da gente mesma pra ter uma qualidade de vida bacana, sabe? E penso que a mulher atual, no que depende só dela, consegue fazer isso com facilidade até. Mas respeito... Ah, essa já é uma outra história!

    LILIAN: Valeu demais pelo incentivo, viu? Espero te ver por aqui outras vezes.

    ARCANO: Obrigada! Da mesma forma fico muito feliz com sua observação e ficarei ainda mais se te encontrar por aqui outras vezes.

    ROSE: kkkkkkkkkk!!! Caramba, o que é que dá pra dizer disso? kkkkkkkkk!!!! Você é uma lady, querida! kkkkkkkkkk!!!

    RODRIGO: Ahhhh, Rodrigo... O seu vai separado, tá? Veja na sequência, please!

    BEIJOCAS PRA TODOS!

    ResponderExcluir
  12. Olá Rodrigo!

    Confesso que mesmo lendo e relendo seu comentário, não consegui chegar a uma conclusão. De qualquer forma, me parece que esse texto lhe causou algumas impressões (Negativas? Positivas? Vai saber!). Melhor assim.

    Não sei os demais leitores, mas te juro que não entendi a lógica do seu primeiro parágrafo: 98% da minha beleza saem com água e sabão e 2% se "salvam" porque sou mulher e tenho um blog? Se você for mais claro, poderei também comentar com melhor clareza.

    É verdade, há equipamentos eficientíssimos pra levantar um carro na hora de trocar pneu... Mas acredita que nunca nem precisei tirar do porta-malas? Felizmente, os homens jamais me deram oportunidade pra saber se sei ou não fazer isso, sempre correram a se antecipar nessa tarefa, mesmo sem serem solicitados. Ótimo. Aceito sem o menor pudor. Caso não aceitasse, eu não seria apenas uma "feminista limitada" (o que jamais fui). Seria MUITO BURRA também.

    Concordo parcialmente com sua opinião, porque acho que NUNCA é boa opção "ser catada"... Relacionamentos pressupõem o óbvio, que as pessoas se relacionem. Papo daqui, papo de lá, um cata daqui e outro cata de lá, tudo de comum acordo. Assim ninguém corre riscos. Nem o homem de "catar" uma feminista chata, nem a mulher de "ser catada" por um bronco.

    É mesmo, mocinho. Também acho que saber o próprio valor é muito diferente de ser reconhecido. Aliás, eu diria que reconhecimento alheio é apenas uma consequência, importante sim, mas que nem sempre determina o êxito ou fracasso de coisa alguma. No entanto, quando se trata de RESPEITO, faz uma diferença enorme. Quer um exemplo prático? Um chefe metido a educadinho faz bonito e dá belas flores às suas funcionárias no Dia Internacional da Mulher. Mas não aceita que os salários delas sejam iguais aos dos homens que desempenham a mesma função. Que tal lhe parece isso? Como vê, estas datas aliviam a memória até de... Bem... "Distraídos" como você. Mas a questão é bem mais profunda que blablablá de ocasião. Está muito além de feminismos e machismos baratos.

    Sobre interesse sincero você diz:

    "Isso certamente é obtido em um relacionamento simples, praticidade, observância, opinião, incentivo e apoio para crescer deve ser mútuo, talvez você até receba mas nunca será o suficiente, não é mesmo?"

    Oras, oras!... E não foi EXATAMENTE isso que falei o TEMPO TODO no meu texto?

    Como vê, nem sempre as mulheres é que são complicadas, meu caro!

    Deixo um beijo pra você... Dessa vez no cotovelo, tá? É pra sarar o dodói!

    Brincadeiras (e coisas bem sérias) à parte, gosto de opiniões autênticas e te agradeço por isso. O espaço aqui é democrático.

    Até a próxima!

    ResponderExcluir
  13. Já tinha dado uma olhada por aqui e apesar de achar o texto coerente, não me inspirei a comentar. Talvez porque não tivesse nada de importante a acrescentar, porque trata-se de uma visão feminina sobre o assunto. Mas vendo que uma quizumba pode se instalar e de rolo eu gosto, resolvi meter o bedelho. Blogs refletem posições extremamente individuais, sem a intenção de agradar a torcida do Flamengo. É lógico que existe a lei da ação e reação, quem fala o que quer, pode ouvir o que não quer. Num espaço público, isso é inevitável. Mas ao se criticar uma idéia, cabe uma análise justa. Como falei logo no início, o que encontrei nesse texto foi uma visão feminina, não feminista. Em nenhuma passagem reparei que a autora sacode bandeiras ou ataca os homens. Reparei na constatação realista de uma data comemorada sem muito louvor, porque há ainda um longo caminho a ser percorrido para que as mulheres deixem de ser vistas no rol das minorias sociais. Mal pior do que feminismo ou machismo é alienação acompanhada de uma dose cavalar de intolerância.

    ResponderExcluir
  14. Bom, vamos lá de novo...fiz meu comentário e, não sei porquê...sumiu...apertei tecla errada, com certeza...agora, vou ver se consigo repetir o texto no calor do momento...
    Acredito em mulheres, que são parceiras na minha vida desde que nasci...e também foram companheiras nos momentos difíceis que passei...não é fácil ser gay sem amparo. E esse amparo sempre foi oferecido de maneira carinhosa por várias mulheres que passaram na minha vida... eu também passei e tenho certeza que marquei de alguma maneira essas pessoas. É verdade, há um tempo em que o gênero não interessa mais...O que acho importante nessa efeméride é lembrar e refletir qual a importância da mulher... no mais, bobagem...
    Acretido com veemência que o preconceito, entre mulheres incluve, só acaba por disseminar mais preconceito...
    Lindo texto Tania..
    deixo minha recomendação de leitura sobre o assumto feminino, imperdível: "o martelo das feiticeiras - maleus maleficarum" = essencial para quem quiser saber um pouco porque a mulher ficou em segundo plano, na visão católica apostólica romana...editora Rosa dos Ventos, prefácio de Rose Marie Muraro...
    bjs;
    edu

    ResponderExcluir
  15. VIVA O EDU-U! VIVA O EDU-U! VIVA O EDU-U!. Se tiver alguma versão palatável dessa bula papal que é o Maleus Maleficarum...talvez eu leia. Acho que vou ficar puta da vida, mas o Edu recomenda essa leitura desde 1925. Tô em falta.

    ResponderExcluir
  16. Eu tbém vou dar palpite na polêmica que surgiu com o comentário do Rodrigo. Primeiro eu acho que ele não entendeu bem a proposta do texto desse post, pq se ele prestar atenção vai ver que foi dirigido mais às próprias mulheres, sem o objetivo de agredir os homens ou ser feminista. Isso fica evidente no último parágrafo, onde a Tania sugere que as mulheres não se deslumbrem comemorando a data, mas pensem melhor sobre ela.
    Acho que certos homens são muito engraçados, pq quando eles são cuidados seja pela namorada, esposa, mãe ou qualquer outra mulher, isso representa carinho e atenção. Ao mesmo tempo ficam achando que quando as mulheres aceitam os cuidados masculinos, então é pq são contraditórias, querem ser independentes só na hora de exigir direitos. Mas os homens não são considerados independentes desde que o mundo é mundo e mesmo assim precisam de mulheres cuidando deles, muitas vezes até mesmo para a tarefa ridícula de lavar suas cuecas? A mulher não é feita de outro material e tbém gosta de ser cuidada, mas nem por isso ela precisa achar maravilhoso ser tratada como uma tonta, que se contenta em receber palavras doces só em datas especiais.

    ResponderExcluir
  17. "Beijo no cotovelo" foi genial!kkkk Você foi super na mosca!kkkk

    ResponderExcluir
  18. Elaine... kkkkkkkkk
    Sem palavras... kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  19. Oi Tânia...

    Muito bom ver vc lá na Academia da Poesia...Foi uma honra enorme recebê-la. Só fiquei triste pq vc disse que não consegue ir à Casa da Poesia participar conosco das publicações e do dia a dia do pessoal que está cada vez mais afiado em tudo por lá. É muita alegria, textos lindos, paz e inspiração. Seus textos fariam sucesso lá com certeza...
    Bom...creio que uma vez disse a você aqui mesmo que tenho um filho, o menor, que está no segundo ano de jornalismo. Ele adora isso... até me abandonou no meu blog de contos e crônicas para investir na sua carreira solo de matérias jornalísticas e críticas, etc. Monto um blog próprio e está nessa, abandonando os Contos fantásticos que ele produzia tão bem.
    Conto com seu apoio a ele e seus comentários didáticos e críticos sobre o que ele escreve, se for possível... Aprender é algo necessário e com vc , tenho certeza que ele vai ter o termômetro sobre a forma e conteúdo dos textos dele.
    Se não for pedir muito, dá um empurrãozinho lá nos escritos dele....
    o endereço é: http//omitodos mitos.blogspot.com
    Bom....é esse meu pedido.....e claro....se vc puder e qdo puder amiga.
    Fora isso....estamos esperando vc lá na Casa da Poesia sim...rs

    Um abraço* e fique com Deus amiga.

    ResponderExcluir
  20. JACK: Bem legal seu comentário, valeu pelo apoio. Mas que negócio é esse de não se inspirar a comentar? A visão masculina acerca de assuntos femininos é sempre bem-vinda, né? Ainda que seja divergente da minha opinião. Estamos aqui pro que der e vier!

    EDU: kkkkkkk!!!! Já me aconteceu isso um montão de vezes também quando fui deixar comentários em outros blogs... Dá a maior raiva, né? Principalmente quando a gente capricha no texto e, segundos depois, a idéia escapa completamente. Felizmente vejo que você não se atrapalhou. Adorei o comentário! Ainda não pude ler o texto que você recomendou ("O Martelo das Feiticeiras"), mas farei isso, com certeza. E depois te digo o que achei, tá? Ah, aproveito pra dizer que fiquei triste por não ter ido encontrar com vocês hoje... Trocar um papo genial pelo fogão é dose! TAQUELAVIDANEMELEMBRADISSO!!!!

    ROSE: Juro que serei bem mais rápida que você na leitura, tá? Com toda certeza lerei ainda neste século. kkkkkkkkkkkk!!!!!

    CRISTIANE: Caraca, a metralhadora deu uma disparada daquelas! kkkkkkk!!!! Bem, nem preciso dizer que considero seu comentário muito pertinente, né? Não por discordar do Rodrigo (ele tem todo direito de pensar como preferir, mesmo me deixando com ódio... kkkkk!!!), mas porque concordo com tudo o que disse. Valeu pelo apoio também, viu?

    ELAINE: kkkkkkkkkkkk!!!! Você não nasceu, minha filha... Foi inventada! kkkkkkkkkkk!!!!

    HELENA: Pois é, o que dá pra dizer diante das atrocidades "elainísticas"?... kkkkkkkkk!!!!

    RENATO: Então, ainda não consegui estar na Casa da Poesia da forma que gostaria. Como te falei, quero participar mais ativamente. Mas, confesso, não sei se vou acrescentar muito não... O pessoal lá é fera! Quanto ao incentivo ao meu jovem e nobre colega de profissão, pode deixar. Com prazer acompanharei as criações dele, viu?

    BEIJOCAS PRA TODOS!

    ResponderExcluir
  21. Kkkkkkkkkkkkkkkkkk.....
    Amei a história do beijo no cotovelo!!
    O nosso amigo do comentário é mais uma prova que a mulher tem sempre que se explicar mais do que os homens.
    E engraçado como é fácil para eles confundirem feminismo com amor próprio.
    Mas na verdade passei aqui para agradecer os comentários em meu blog.
    Uma jornalista de verdade dizendo que meus textos são muitos bons me fazem muito feliz e me deixam com mais vontade ainda de escrever...
    Sabe que eu já quis ser jornalista um dia ???
    Bem, também adoro os seus textos e ADORO a descrição do seu perfil. Já tenho até idéia para um post sobre o assunto: como as mulheres se tornam melhores conforme vão envelhecendo.
    Quando postar te aviso.
    Beijoca!

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir