sexta-feira, 19 de março de 2010

Liga não, é só AMIGA!

Você tem marido. Namorado, rolo, ficante, sei-lá-o-quê. E ele é ótimo. Tão ótimo, mas tãããão ótimo, que tem um montão de amigas. Algumas são amigas de infância, outras apenas coleguinhas de trabalho. Amigonas, amiguinhas... Às toneladas. Que surgem de repente e, por mais que você procure, não encontra uma vírgula sequer que as encaixe na biografia do sujeito.

Aí você resolve questionar o meliante sobre determinadas fulanas. Invariavelmente ouvirá, em primeiríssimo lugar, toda sorte de justificativas pra desqualificar as pobrezinhas: "A Lelê? Ah, a Lelê é um dragão, Deus me livre! Tem ruga até dentro do olho, acredita?"... Hum-hum, sei. "Ih, essa Fá é um saco, ninguém aguenta, precisa ver!"... Tá. Tô escutando. E acreditando meeeeesmo, ainda mais com o reforço desses apelidinhos ultra-mega-pra-lá-de-fofos. No caso do meu marido, era assim que falava de algumas colegas da época da faculdade, destacando defeitos. E quando eu as conhecia pessoalmente, via os mulherões que eram. Ahhhh, furador de olho!...

Pior é quando pinta indignação. "Ô, mas você vê maldade em tudo, hein minha filha?". Verdade. Muito feio isso. Onde é que já se viu maldizer relações tão fraternas? Qualquer pessoa normal jamais implicaria com isso. Só que eu sou ANORMAL. Eu implico siiiimmm. Eu me descabeeeeeeeeeeelo!!! Eu xingo a mãããããeeeeeee!!!!!!! Bom, tudo isso, naturalmente, só aqui dentro do meu ser, né? Que não sou besta, nem desço do salto. E, justamente porque não sou besta, mas, às vezes, até curto uma boa rasteirinha, é que de graça não deixo mesmo. Mulher é fogo, minha gente!

Quando está em casa, meu doutor bonitão recebe chamadas do trabalho o tempo todo. Tudo bem, como coordenador de um serviço de resgate isso é perfeitamente normal, pintam zinzilhões de pepinos pra resolver. A problemática, no entanto, surge no jeitinho de falar. Observe:

- QAP. Faaaaaala Marcinha! Ahããã... Certo. Hahaha!... Ok. Hahahaha!... Sério? Hahahaha!... É. Hahahaha!... Tá. Hahahaha!... Hahahaha!... Outro pra você! Hahaha... TKS. Hahahaha! Ai, ai... Essa Marcinha!... Hahahaha!

Logo em seguida...

- QAP, Carlão. Ok, informe QTH. QSL. Sem QRU, estou QRV. Bom trabalho. TKS.

Pausa para o ódio preencher meu coração.

- Por que quando você falou com a Marciiiiiiiiiiiinha você disse "outro", heeeein??? :o

Neguinho se finge de morto... Ai, ai-ai!... Tofalanucasparede?

- É que ela mandou um beijo.

- Bonito, hein?! COMO-ASSIM-MANDOU-UM-BEIJO???? :x

- Que que tem? Isso é normal, não acha?

- Poizé. Acho. Tanto, que até estranhei você não mandar beijo pro Carlão também. :p

- Eeeeê!... TÁ DOIDA? E eu lá vou ficar mandando beijo pra macho???

- Uéééé!... Não é tãããão normal, maledeto?...

Bem, desconsiderando esses episódios sem importância real, penso que todo relacionamento, pra ser bacana, depende da preservação da individualidade de cada um. Acho um horror casais que se anulam, que perdem o contato com amigos, sejam do sexo oposto ou não. Quem gosta pra valer não boicota os amigos do outro, muito pelo contrário, tenta se enturmar com eles. E, acima de tudo, respeita os momentos que o outro precisa estar com outras companhias também, afinal ninguém nasceu grudado e há um mundão de vida fora da casa da gente. "Querer-se livre é também querer livres os outros" - Simone de Beauvoir.

Quer me ver fula da vida? É encontrar algum amigo, amigão mesmo, que quando está sozinho é divertidíssimo, beija, abraça carinhosamente, e quando está acompanhado da respectiva se transforma, fica todo cerimonioso, quilometricamente distante. Isso também acontece bastante virtualmente. Em recadinhos públicos o elemento é protocolar, genérico, manda abração. Em off é uma fofura, todo intimista e cheio de graça. Minha vontade, numa hora dessas, é de arranjar uma bazuca e encher o infeliz de pipoco.

Então, é assim. Se a gente gosta de ter amigos sem segundas intenções, nossos queridões também podem ter as amigas deles, oras bolas! Ser implicante só provoca desgastes inúteis. O melhor é parar de procurar chifre em cabeça de cavalo. Afinal, nunca vai encontrar mesmo, nem se olhar com lupa... Porque de repentemente, inadvertidamente e desgraçadamente não é bem na cabeça do bicho que o parzinho de chifres está, né?

Venenoooosa!...

33 comentários:

  1. Olá Tania
    Adoro seus textos pela forma bem humorada que você fala de assuntos sérios. Tenho um relacionamento a 36 anos , e todos perguntam qual o segredo. É claro que não tem segredo, o que tem e respeito a individualidade de cada um. Os amigos dele não são necessáriamente meus amigos. Não me sinto na obrigação de ir a todos os lugares que ele vai. Tentados deixar o prazer e não a obrigação comandar as nossas ações, e tem dado certo, afinal 36 anos não são 36 dias.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. adorei sua criatividade para esta importante abordagem ... muito bom mesmo ... é a tal coisa ... a vida levada de forma mais simples é o melhor caminho para a felicidade ... mas quem quiser complicar é só procurar chifres em cabeça de cavalo que vai encontrar mesmo ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  3. kkkkkk! Muito bom o texto, é ótimo ver essas coisas que acontecem com todo mundo tão bem descritas. Tbém fico com raiva quando encontro algum conhecido que se comporta diferente quando está acompanhado. Com essa atitude dá pra ter uma boa noção da beleza que é o homem. Maior vacilão!

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto! A realidade dos casais de ultimamente. Se não souber levar, acaba em divóricio. Mas a desconfiança é boa na medida certa. Colocar o amor acima de tudo é importante :D

    ResponderExcluir
  5. Eu acho que uma coisa é certa: o comportamento do cara tem uma influência grande para que a mulher aceite ou rejeite as suas amigas. Por exemplo, não dá para aceitar que o namorado/marido largue a gente em casa para sair com uma amiga, ou que os dois conversem trocando carinhos em local público, né? Adorei esse blog!

    ResponderExcluir
  6. Oi povo!

    WANDERLEY: Empatamos, também adoro suas postagens. Empatamos de novo, também não me sinto na obrigação de gostar de todo mundo que meu marido gosta, muito menos de frequentar os lugares que ele curte e vice-versa. Num post antigo até falei mais ou menos sobre isso ("O que tem que ser é, pronto e acabou!, de 03/03/2009). Espontaneidade e prazer são fundamentais pra se ter uma vida muito gostosa a dois, você está certíssimo!

    PAULO: Ah, sabe de uma coisa? Só agora descobri quem é o seu namorido... E a-do-ro ele, viu? Ambos são ótimos, penso que a convivência com vocês é uma delícia. É verdade, quem muito procura, acaba achando. Considero uma enorme perda de tempo ficar futricando a vida do outro, sendo que já há tanto a fazer por nós mesmos, né? E a vida passa rapidinho, não convém desperdiçar nada.

    HELENA: E não é? Sinais, sinais... Nunca se deve desprezar as indicações da qualidade de um caráter. E quando constato que a pessoa é cheia de ciladinhas, prefiro me afastar. Tenho um comportamento linear com todo mundo, sozinha ou acompanhada, virtualmente ou na real. E, no mínimo, exijo o mesmo em troca, né?

    JEAN: Pois é, o povo insiste em misturar estações, daí a dificuldade em se manter um relacionamento estável. O principal ingrediente de uma parceria afetiva é a confiança, né? Sem isso fica impossível ser feliz e ter paz.

    JOSI: Nã-nã-ni-nã-nãããão! Até concordo que o comportamento do cara tenha alguma influência na maneira como você enxerga uma amiga dele. Mas tentar fazer com que ele se relacione com outras pessoas só na sua presença não é nada desejável, não acha? Lógico que ninguém é besta de aceitar que o outro vá ficar trocando carícias por aí, mas não vejo o menor problema em encontros pra papo entre amigos. Principalmente se a gente levar em conta que algumas amigas, no caso, já faziam parte da vida dele muito antes da gente aparecer, né? E isso precisa ser respeitado. Bom, essa é a forma que penso.

    BEIJOCAS PRA TODOS!

    ResponderExcluir
  7. Reloooouuuuuu.... Seu marido é um gaaaaaaaaaaaaato. Desde a época da facu queridinha....Agueeennnnnta....
    (Pausa para encher seu coraçãozinho de ódio.)kkkkkkkkkkkkkkkk
    Ele deve levar cantada para caralho...mesmo se fosse pedreiro, (nunca vi um japa pedreiro!) levaria. Imagina um Dotô! O que eu sei e vou contar prá todo mundo agora, é que a recíproca é verdadeira : vosmicê abala Pindamonhangaba! Abala Paris seria um pouco demais.

    ResponderExcluir
  8. Puxa vida, Rose...

    Não dá pra ampliar pra Região Sudeste, não? Estado de São Paulo?... ABC paulista, vai! kkkkkkkkkkk!!!!

    Tenho que concordar, o japa é mesmo um gato! Rabuda eu, né? No sentido literal e figurado. kkkkkkkk!!!!

    ResponderExcluir
  9. Vou te contar, tem mulher que tem ciúme de tudo, até do vira-lata do cara, reclama que o sujeito dá mais atenção ao cachorro do que pra ela. Quando uma mulher tem ciúme de toda e qualquer outra mulher que se aproxime, então o cara só tem duas alternativas: ou desiste de ter amigas ou desiste de ter namorada. Por mim, a segunda opção é a mais sensata, porque gente ciumenta é um pé no saco.

    ResponderExcluir
  10. Oi! Eu encontrei esse blog por acaso e gostei muito. Eu vi que as pessoas respondem as coisas então eu queria falar o que acontece comigo porque sou muito ciumenta.
    A historia é a seguinte:
    Namoro há 7 meses, e amo muito meu namorado. Não consigo nem imaginar minha vida sem ele.
    Durante esses 7 meses, ele mudou muitas coisas que ele fazia e no jeito dele só por causa de mim... E eu acho isso muito legal.
    O meu problema é que quando ele sai sozinho eu me preocupo muitoooooooo! Fico doida pra saber se ele tá bem, se chegou bem em casa e etc...
    Eu tambem nao gosto quando ele sai com os amigos dele... Nao é por ter medo que ele vai me trair, ou algo do tipo, mas eu fico com ciume... =/
    E outra coisa tambem que eu me mordo de ciumes (e isso é o que eu mais tenho ciume mesmo) é uma menina que é melhor amiga da prima dele que ele já foi afim. E a prima dele mora na casa dele, e essa menina vive indo lá! Mesmo ele tendo ficado afim dela há muito tempo e eu sabendo que ele nao gosta mais dela, me irrita o fato de saber que ela vai mais na casa dele que eu, que ela conhece mais a familia dele que eu!
    Gente, tô muito triste. Me ajudem, por favor... Beijos!

    ResponderExcluir
  11. kkkk A-D-O-R-E-I,
    a maneira como você abordou um
    assunto que é mais que comum na vida de todos.


    beeeeijão

    Jéh;*

    ResponderExcluir
  12. Excelente texto…
    Você manda muito bem!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. AMEEEEEEEEEEI seu blog!!! Vou vir sempre aqui fuçar… Deu muita risada, mas ao mesmo tempo levei td muito a sério…

    Bjusss

    ResponderExcluir
  14. Tânia, apesar do texto muito bem escrito e bem-humorado... é inevitável não sentir uma certa desconfiança nestee requisitos, hein?! Obviamente, que devemos sim, permitir a liberdade, mas não demais... (risos!)

    Beijos graciosos!*****

    Graciele Gessner.

    ResponderExcluir
  15. Parabéns pelos seu espaço
    Está super legal!
    Beijos da Nane

    ResponderExcluir
  16. JACK: sou obrigada a concordar totalmente com você. Quando a aporrinhação começa a atingir níveis insuportáveis, o jeito é dar um basta na situação. E, cá entre nós, essa é uma postura que algumas mulheres também precisam adotar. Já vi muitos casos de homens que não aceitam que suas companheiras se relacionem com outras pessoas. No meu círculo de amigas vejo isso acontecendo. Algumas nunca participam de nada pra não desagradar maridinhos egoístas.

    PAULA: vou fazer um comentário pra você separadamente, dê uma olhada a seguir, ok?

    JÉSSICA: Você é uma fofa, obrigada por estar aqui.

    CLÁUDIO: Valeu, venha sempre que quiser.

    BIA: Fico feliz por ter te divertido com meu texto. Venha novamente também!

    GRACIELE: Ô! Ma nem! Cuca fresca só até a página 2, claro! É como eu disse no texto: o melhor é não descer do salto, mas se for preciso a rasteirinha entra em ação.

    NANE: Obrigada, venha mais vezes também, tá?

    ALEXANDRE: Hum-hum... (em estado semivegetativo, por overdose de Maracugina)


    BEIJOCAS PRA (QUASE) TODOS!

    ResponderExcluir
  17. PAULA,

    Eu preferia comentar sobre seu problema via e-mail. Mas na impossibilidade de fazer isso, vamos lá. Primeiro, como sempre gosto de deixar bem claro, nada me credencia a ficar aconselhando ninguém sobre coisa alguma. Em geral falo sobre minhas próprias experiências e sei lá se lido com elas da maneira certa ou não. Mas sempre procuro fazer o melhor que posso.

    Caramba, seu caso, pelo que vejo, é de absoluta encanação com coisas que não deveriam te incomodar tanto. Mas entendo perfeitamente que o que parece muito simples pra quem está de fora, não é nada fácil pra você. Daí sua tremenda angústia.

    Penso que seria bem legal você buscar ajuda profissional pra melhorar isso, porque com toda certeza essa marcação em cima do seu namorado é apenas um reflexo de outros problemas que precisa resolver consigo mesma, coisas que, se não forem solucionadas satisfatoriamente, sempre irão te atrapalhar, seja com esse ou com qualquer outro namorado que venha a ter.

    Perceba que o problema não está nas pessoas que cercam seu namorado ou nas atitudes dele, mas na sua insegurança em relação a tudo isso.

    Que tal se fortalecer um bocadinho, acreditando mais em você mesma? Um bom profissional pode te ajudar bastante nisso com uma terapia, falo com conhecimento de causa. Aliás, sou de opinião que TODO MUNDO precisa de terapia.

    Pense nisso, tá? E espero te ver novamente por aqui, mais aliviada.

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  18. Bom dia Tânia,
    Hahaha mesmo! Amei seu texto! Simone de Beauvoir tinha sempre razão. E foi muuuiiito corajosa, principalmente para seu tempo: Sartre de um lado e ela de outro... Passaram a vida juntos, sem implicâncias com os 'relacionamentos' do outro porque viviam... separados! Sempre quis ter um relacionamento assim, mas a vida é tãããããooo complicada!!! Hahaha!!!!!!!!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  19. pois então Tânia, o comercial da Olimpus Pen tb é fantástico ... eu já o postei tb a tempos atrás. Ele me emocionou de forma particular pois a minha primeira câmara fotográfica foi uma Olimpus Pen ... faz tempo isto ... rs

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir
  20. HAHAHAAH
    Muito booom o texto! XD

    Ciúme é uma complicação, viu? Eu nem sei se sou ciumento, vou experimentar essa sensação agora que tenho um início de namoro. Hun...Pensando bem...Aquele telefonema ontem a noite foi estranho mesmo! HEY! Perae, vou alí torcer algumas cabeças e já volto! HAUSuashuahs

    Passei aqui só pra descobrir um pouco da guria que tava me seguindo e gortei demais do seu tom. Serei mais um dos seus seguidores, ok? ;]
    Bjão e um excelente domingo procê.

    ResponderExcluir
  21. Super legal e bem humorado o texto,,,obrigado pelo cairnho da visita, um beijo e uma bela semana pra ti.

    ResponderExcluir
  22. Tânia...

    Que abordagem interessante, e vinda de uma mulher... e sei bem como é isso tudo a que você se refere. Unzinfernu essa relação toda que a gente vive, pois quando se gosta, como você diz, o importante é não anular, mas que certas coisas são duras de ver, são mesmo.
    A verdade é que quando há confiança e amor, tudo isso passa a ser sem sentido mesmo, mas que vira pulga, vira... atrás da orelha, do pescoço, do corpo todo, afffee
    Olha, a maior parte das vezes isso não reflete o que o nosso "amor" está fazendo ou deixando de fazer, mas simplesmente o que o tal "amigo" tem como intenção ou está apenas "pensando"... Sei lá, é duro às vezes, mas o princípio do acreditar e da confiança rege tudo na verdade....o problema é que a senhora escreve com a sua ótica...e se fosse ao contrário?
    Todos pecamos pelo ciúme acelerado ou pela confusões mentais quando se trata dos relacionamentos dos nossos parceiros(as)...é fato e fatal. Dureza existir um acordo e um "deixa rolar"... dureza.
    Eu erro, você erra, todo mundo erra e acaba extrapolando e um algo que seria um nada, vira um vulcão em erupção sem sentido e é briga e discussão por anos... porque mulher é assim, nunca esquece mesmo....rs A primeira discussão por causa da temperatura do jantar vira um trauma porque o assunto vira aquele telefonema ou aquele recado que na verdade nem tinha importância.
    Bom... já me estendi demais, mas é que seu texto mostra uma realidade que faz parte da vida de TODOS nós...quando se ama, tem coisa que vira inaceitável...se passasse batido...é porque não se está ligando muito...aí que é o perigo.
    É o tempero do amor, pena que desgaste tanto...tanto....
    Finalizando, preciso agradecer o seu apoio ao meu menino...ele está vibrando...mostra seus textos pra todo mundo e virou seu fã...rs É muito importante o que você está fazendo... acaba que já faz parte da formação profissional dele. Obrigado de coração amiga.
    Ah!...esqueci...seu outro texto, sobre os naturebas...nossa....quantas vezes não querem que provemos um troço horripilante só porque o gosto parece com o de outra coisa não menos nojenta...coisas da vida. Seu texto é preciso e hilariante...parabéns...
    Não vejo a hora de ter esses textos lá na Casa da Poesia, né?...promessa é dívida e não dúvida...rs

    Abraços* para você, para o marido e filhote que tenho visto aqui comentando....estejam com Deus.

    Renato Baptista

    ResponderExcluir
  23. uffa...Isso mesmo, Tânia! Por mais que nos achemos no direito de sair do sério, uma boa relação é quando entendemos que o outro não é nosso por direito. Sem hipocrisias, mas com muito respeito.

    Adorei o humor do texto e do perfil. rsrs
    Estarei por aqui.
    inté

    ResponderExcluir
  24. é amiga, essa vida não é fácil kkk

    bjsss

    ResponderExcluir
  25. oi tânia, gostei do seu texto e do seu blog e para falar a verdade, me espantei pois achava que já era seu seguidor e não era. ah, valeu pelo comentário das minhas pinturas, ganhei meu dia, obrigado!

    abç!

    paulo vieira

    ResponderExcluir
  26. http://dcosmo.blogspot.com - Constantes reflexões, Rumo a novos pensamentos! "Cosmo a Pé"

    ResponderExcluir
  27. Oi Tania!

    Que assunto, hein? Dá pano pra manga rsrs
    Já fui casada e a maioria dos amigos e amigas eram em comum (até hoje são) mas tinha um escocês que era o fim, peeeense numa criatura cheia de ousadia, se metia em tudo, dava palpite e por aí vai...desse eu não tinha ciúme, tinha era ÓDIO mesmo kkkkk, o cara é tão mala que já perdeu vários amigos, e pior: virou piada geral, aqui em casa até a empregada faz resenha do comportamento dele ;]
    Ai, ai...ri demais...

    Beijos amiga, tenha uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  28. takepariu...desculpa chegar assim mas, me senti personagem do seu texto... medooo!

    ahahahah, pausa para tomar fôlego porque essa risada foi de neura , já passei muita raiva desse jeito.

    Então, estive lendo suas publicações, gostei muito , parabéns!
    E, os comentarista daqui também são ótimos, parabéns à todos!

    Tin

    ResponderExcluir
  29. PAULO: Pois é, de uma sensibilidade imensa esse comercial da Olimpus Pen, né? Criatividade nota mil também. Dá mesmo uma saudade danada dessas câmeras mais antigas. Se quer saber, acho que a câmera digital tirou boa parte da graça de fotografar.

    CP: É como já te disse lá no seu cantinho... Que delícia de momento você está vivendo agora! Curta essa emoção sem encanações mesmo. Já te falei que tenho até inveja desse friozinho na barriga... Que gostoso é viver isso!

    EVERSON: Eu é que te agradeço por te ver aqui. Muito legal esse estímulo!

    RENATO: Que delícia ver um comentário tão completo! É verdade, por maior que seja a confiança e a boa vontade, uma pulguinha ou outra atrás da orelha pinta sim. Oras, mas somos humanos, né? E isso é o que dá graça no relacionamento, não acha? Sobe e desce, esfria e esquenta... Eeeeeba! Quanto ao Arthur, fico feliz por saber que ele tem curtido meus textos. Da mesma forma, também já virei fã dele. O moleque tem opinião e é bastante talentoso, com certeza vai se dar muito bem na profissão. Parabéns pelo filhote, viu?

    DIU: É isso aí, respeito acima de tudo. Não é isso que a gente batalha o tempo todo pra conquistar? Adorei sua visita, viu? E ficarei muito feliz se te encontrar por aqui outras vezes.

    DRI: E não é que não é moleza meeeesmo?

    PAULO: Seu trabalho é magnífico, de verdade. Nem há muito mais o que dizer. Recomendo aos meus leitores que visitem seu blog e vejam se não tenho razão.

    DIEGO: Pera, que já já te visito. Obrigada por ter vindo aqui também, tá?

    PATI: Caramba, maleta escocesa ninguém nesse mundão merece, meu Deus! Quem morreu de rir fui eu, isso sim! kkkkkkkkk!!!!

    TIN: Taquelavida, que beleza te ver chegar chegando! Venha sempre, adoro gente que fala o que der na veneta, viu? E te agradeço pelos meus comentaristas. Povo genial, né? É muito bom contar com participações de tamanha qualidade.

    BEIJOCAS PRA TODOS!

    ResponderExcluir
  30. Ops! Faltou a LUISA!

    Então Lu, Simone de Bevouir estava mesmo certíssima. Concordo, um relacionamento na base do "juntos" mas adequadamente "separados", pra mim também é o ideal. Espanto um pouco as pessoas com essa opinião radical, sabe? Mas penso que há momentos em que um relacionamento fica mais saudável quando as individualidades são preservadas. No mínimo, no mínimo, um quarto pra cada um já seria um grande alívio, não é não?

    Que bom te ver por aqui!

    Beijoca!

    ResponderExcluir
  31. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  32. Deus, o mundo feminino é complexo e estranho...
    Adentrar nesses textos é certamente uma coisa perigosa!

    Qual o problema com as colegas? Indiferente se colaga macho ou fêmea, meu comportamente anterior é o mesmo que tenho agora. Não é porque você resolveu assumir um compromisso ou iniciar um caso que eu tenho que deixar de tratar bem as pessoas.

    Até porque, vai que você me deixa? Eu tenho que ter uma reserva !!! ehhehehe

    Mas, mulher realmente tem a mania feia de achar que todo homem dará uma bela cantada, ou pretende algo. Não se pode abraçar mais forte, acariciar os cabelos, beijar estalado fora da bochecha, segurar a mão que ... lá vem imaginação ...

    Mania feia e imprudente, realmente de questionar quem são. Já parou para pensar que a pequena curiosidade que você tem é melhor do que fazê-lo lembrar quem "é ela..." ?

    Para casos como esses, eu tinha alguns amigos que nos comunicavamos enviando 'beijo' ao final... como resultado? Ela achou que eu além de galinha estava virando 'viado'...

    Vai entender ... Heim ?

    E acredite, mulher, descer do salto, fazer barraco, você pode até fazer... o Ibope é masculino mesmo... no final das contas... ao menos eu, sou treinado para deixar a mulher sem razão =)
    Correria o risco?

    Para encerrar, gosto muito de Lê-la, você é como um livro que eu gostaria muito de 'abrir', saber o que se encontra nas páginas que para você são rotineiras, desvendar, descobrir todo o conjunto. Aprecio esse momento pois quando leio, imagino a voz sua, dizendo-me e contando tudo isso aqui...
    O chato é lidar com a imaginação... quem sabe a gente não possa sair? Tem tempo ?


    * agora pode mostrar pro seu "NAMOridoCANTE" e ver se ele tem ciume =)

    [Comentarista Intrigante, MininuNu]

    ResponderExcluir